8 de janeiro de 2009

Série Lacis

Comecei a ler este romance pensei que não era tão bom.
Mas é surpreendente ...o suspense é tanto que você vai querer ler até o fim rapidinho acredite!!!


1-BODAS DE FOGO





Isadora de Laci
Feito um vendaval, Isadora invadiu o castelo de Dunmurrow para reivindicar o Cavaleiro Vermelho como marido!

E Piers percebeu que sua vida mudaria para sempre.
Mas uma mulher tão ardente e cheia de luz iria aceitar viver uma paixão envolta pelas trevas?


Piers Montmorency
Diziam que o misterioso Cavaleiro Vermelho não era um simples mortal.
Que fizera um pacto com demônio, em troca de se tornar um guerreiro invencível. Isadora, porém, podia sentir com todo o seu ser que as sombras do enigmático e fascinante Piers ocultavam um segredo muito mais profundo...

Capítulo Um

Isadora sentia-se como um verdadeiro presente de Natal!
Ou talvez uma iguaria deliciosa, aguardando o momento de ser devorada pelos cavaleiros famintos que se moviam lá embaixo como um punhado de cães raivosos e famintos.
Todos, sem exceção, tinham se empanturrado de vinho, cerveja e comida.
Agora pareciam ansiosos para receber um prêmio especial.
Até se poderia pensar que as festas de fim de ano já haviam chegado, tal a maneira como se banqueteava aqui, na corte do rei Edward.
A cena lhe causava tamanha aversão que Isadora não conseguiu controlar a expressão nauseada do rosto.
Porém ao perceber a aproximação de sua aia, virou-se imediatamente de costas.
Não queria ser vista assim, vulnerável e impotente, quando sempre soubera enfrentar qualquer situação.
Mas Edith, tendo carregado-a no colo desde que nascera e a acompanhado ao longo da vida, podia reconhecer o estado de ânimo que a dominava a distância.
- Que foi, minha lady? - a mulher indagou baixinho.
- Que foi? Isadora sorriu amarga, a voz normalmente melodiosa vibrando de raiva e desprezo. – Sinto-me o prêmio de um torneio, toda embrulhada e enfeitada num gesto irritado, passou a mão pelo vestido bordado e pela capa debruada de arminho esperando ser entregue ao vencedor.





2- ESPOSA VIRGEM


Idade Média

Com olhar sombrio para a caneca de cerveja, Nicholas de Laci apoiava-se à parede.
Não estava embriagado. Nunca bebia demais.

Isso lhe embotaria os sentidos e os dele eram afiados como uma navalha. Como prova disso, levantou a cabeça ao ouvir um ruído na entrada do salão.
Mantinha o olhar alerta ao menor sinal de perigo.
Mas tratava-se apenas da irmã Isadora com o bebê no colo.
Hexham não passaria por ali outra vez.
Apesar da disciplina férrea, a idéia invadiu-lhe a mente como um fantasma negro.
Por um momento, Nicholas debateu-a. Seu inimigo estava morto.
O vizinho, que o tinha abandonado ferido na Terra Santa e voltado para roubar-lhe as terras, perecera neste mesmo salão, nas mãos de Piers, o marido de Isadora.
O fato o privara de exercer a vingança.
Nicholas olhou para as duas cadeiras pesadas, na frente do salão, onde a cena se passara.
Mas os ladrilhos já tinham sido lavados e o sangue de Hexham se fora para sempre. Nicholas jamais o veria soluçar e, assim, não sentiria o prazer da vingança tão arraigada em sua alma.
Desde então, nesse último ano, ele tentara executar outras mortes, trabalhando como soldado contratado.
Todavia, o extermínio de estranhos significava tão pouco quanto as parcas moedas recebidas em sua troca.
Nicholas já possuía fortuna e uma próspera propriedade.
Construído pelo pai, Belvry era um castelo moderno que provocava a inveja de seus pares.
O fato, entretanto, não lhe provocava satisfação.
Por isso, estava ali, no local do desapontamento amargo, em busca de alento para o vazio em que sua vida se tomara.
Nicholas apertou os dedos em volta da caneca.
Na verdade, não encontrava estímulo em nada, pois tudo perdera o significado para ele. Sua irmã havia mudado muito nesses cinco anos que ele passara na Terra Santa. Ele nem mais a reconhecia.
Nicholas também se ressentia do fato de o cunhado tê-lo privado do que mais desejava:
tirar a vida de Hexham.
― Nicholas! Eu não o vi aí encostado na parede. O que pretende fazer esta tarde? ― Isadora perguntou com aquele meio sorriso desconfiado, com o qual ele já se acostumara.
A irmã linda, de cabelos loiros, não sabia o que fazer com ele, mas isso não o surpreendia.
Ele próprio não sabia o que fazer consigo mesmo.
― Nada ― respondeu Nicholas com olhar indiferente.
Isadora sentou-se num banco e dirigiu-se à filhinha:― Veja, Sybil, é seu tio Nicholas.
Ao ouvir a voz terna e amorosa, ele quase não acreditou.
A Isadora que ele conhecia era uma jovem altiva, castelã eficiente, mas incapaz de demonstrações afetivas.
Agora, em vez de deixar a criança sob os cuidados da babá, carregava-a para todos os cantos grande parte do tempo. Difícil entender tal atitude.
Um movimento na entrada chamou-lhe a atenção.
Virando-se depressa, Nicholas viu Piers entrar no salão.
Homem de estatura avantajada, o marido de Isadora seria capaz de intimidar as pessoas, mas raramente o fazia.
Ele parecia deliciar-se com o mundo em volta, do qual se vira desligado durante uma crise de cegueira temporária.
― Piers! ― exclamou Isadora sem esconder a alegria. ― Veja, Sybil, é o papai ― acrescentou, sacudindo a mãozinha da criança para o cavaleiro imponente.
Talvez algo durante o parto houvesse danificado a mente da irmã, pensou Nicholas não pela primeira vez durante a estadia ali.
― Fique no colo do titio enquanto recebo seu pai -― disse Isadora.
Para horror de Nicholas, ele viu-se com a sobrinha no braço.
Era pequena, gorda e sem um fio de cabelo.
Cheirava a uma mistura de leite e sabonete. Ele a estrangularia caso lhe sujasse a túnica.
Com a caneca de cerveja em uma das mãos e o bebê no outro braço, Nicholas dirigiu um olhar impotente para a irmã. Porém, ela já se afastava.
Atônito, viu-a atirar-se nos braços do marido.
Nicholas jamais se acostumaria àquele comportamento.
Numa cena constrangedora, o casal beijou-se apaixonadamente como se estivesse em seu quarto.
Talvez a crise de cegueira também houvesse perturbado a mente do cunhado, refletiu Nicholas.
A criança percebeu de repente onde estava e pôs-se á chorar alto.
Nicholas estremeceu e imaginou se não deveria deixar logo o castelo de Dunmorrow. Sentia-se embaraçado ao lado desse trio estranho, mas feliz.
Em comparação à deles, sua vida parecia mais vazia e sem propósito.
― Pegue aqui ― disse ele, estendendo a criança para a mãe.
― Pronto, Sybil. Você deve estar com sono ― Isadora murmurou.
Admirado, Nicholas não entendeu como a irmã falava com aquela coisinha como se pudesse ser entendida.
O estômago contraiu-se e ele lembrou-se de que precisava comer algo.
Mas como tudo, os alimentos não lhe despertavam o interesse.
Resolveu concentrá-lo no gigante loiro que teimava em chamá-lo de irmão.
― Nicholas! ― Piers exclamou com afetividade irritante.
Como o Cavaleiro Vermelho ousava encará-lo com aquela franqueza e como se enxergasse o vazio de sua alma?
Como se atrevia a dar-lhe conselhos quando este castelo era uma lástima se comparado a Belvry?




Série Lacis
1- Bodas de fogo
2- A Esposa virgem
Série concluída Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 comentários:

  1. patricia4:08 PM

    ola!!


    amei esse livro que vc me mandou. é lindoooooo

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Anônimo3:15 PM

    Este é um dos mais lindos romances que li,é o meu preferido

    ResponderExcluir
  3. Anônimo5:20 PM

    Li este livro "A esposa Virgem" há muito tempo e não tenho mais o livro. Que bom encontrá-lo neste site... É o livro mais lindo que já li. O segundo mais belo é "Veludo Azul" e o terceiro (vale a pena ler!) chama-se "O lorde do deserto". Uau!
    Beijos,
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  4. Anônimo5:22 PM

    Concordo com a colega que disse que o livro "A esposa virgem" é um dos mais belos livros que ela já leu. Sugiro que ela e outras colegas leiam tb "Veludo Azul" e "O lorde do Deserto". São maravilhosos!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Além desses citados, gostei muito da série D'Brughs, principalmente o Lobo Domado.Bastante sensual!!!!!

    ResponderExcluir
  6. AMEI o livro Bodas de Fogo! Me impressionou por ter sido melhor, na minha opinião, do que Lobo Domado, na qual eu adorei ler.
    Enquanto lia Bodas de Fogo sempre imaginava, junto com Isadora o q prendia o Cavaleiro vermelho naquele quarto. E no fim eu acabei acertando... pela metade seus motivos, se me entendem XD
    E quando eu os soube comecei a chorar como se receptasse a dor do Cavaleiro Vermelho T_T
    Agora vou passar para o próximo livro para ver se é tão bom quanto o anterior. Mas lembro os comentários só me dá mais ansiedade!

    ResponderExcluir
  7. Anônimo3:03 AM

    Adorei o Bodas de fogo, achei um livro mt bom. Isadora é orgulhosa e desafiante e tem q se casar por ordem do rei, assim ela escolhe o cavaleiro c a pior reputação do reino crendo q assim o rei a libertará do casamento. O cavaleiro vermelho é todo um enigma. O facto de ele estar sempre no escuro e de ela nunca o conseguir ver, mesmo nas situações mais intimas, dá um toque de suspense à história. Pierce é lindo um deus, que vive entre a paixão q começa a sentir e a raiva pelo estado em q se encontra. Tem descrições hot, envolvidas em mt romantismo. Vale a pena ler.

    STRECHT

    ResponderExcluir
  8. Anônimo1:45 PM

    O livro a esposa virgem da série de Laci, na minha opinião não é tão bom como o bodas de fogo, não me entusiasmou de facto. achei bastante parado e o protagonista parecia meio doido ( não querer dormir c a mulher para não terem filhos c medo q ela morresse acho q é paranoia a mais). A única coisa em comum dos 2 livros e q foge um pouco à norma neste tipo de literatura é q ambas as protagonistas são bastante desinibidas nas cenas de intimidade...essa parte achei diferente o q dá uma lufaa de ar fresco e mais sensualidade às situações.

    STRECHT

    ResponderExcluir
  9. um dos primeiros romances que li do blog! OMG! e esses dias revolvi reler! Bodas de fogo é meu livro preferido! e eu juro que quando li a primeira vez eu tbm comecei a achar que o (lindo) Piers tinha um pacto com o demonio um qualquer coisa assim igual a Isadora quando começa a se questionar!! kkkkkkkk.....
    Otima serie! *-*

    ResponderExcluir
  10. Bodas de Fogo é um dos meus romances medievais favoritos e foi um dos primeiros que li. Isadora (Aisley, na versão original) é uma heroína decidida e forte, amo isso nas personagens de Deborah Simmons. Gostei bem mais de Bodas de Fogo do que a Esposa Virgem, não que Esposa Virgem não seja bom, é muito bom, mas na minha opinião não se comara a Bodas de Fogo que é menos previsivel e mais interessante.

    ResponderExcluir

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?

Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs, Jenna e Seriam

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...