8 de fevereiro de 2009

A Feiticeira e o Cavaleiro

Série Irmãs Drumond


















Prólogo

Reino Místico, 1552
Gwenellen do clã Drummond, de nove anos,a menina tinha o aspecto de um duendezinho, com formosos e cacheados cabelos dourados caindo pelas costas e risonhos olhos da cor do mel escuro. 
-Sei o que estão pensando. Só porque tive alguns... passos em falso antes, acreditam que nunca vou conseguir que meus feitiços funcionem . Entretanto, desta vez demonstrarei que vocês estão equivocadas.
Allegra era a maior das três irmãs. Tinha treze anos, o cabelo da cor do fogo e olhos verdes -Sim - disse Kylia, que era um ano mais nova que Allegra, com seu cabelo negro como o azeviche e olhos da cor da lavanda.
O rosto de Gwenellen se avermelhou ao escutar as menções que suas irmãs faziam de seus muitos acidentes. Apesar de seus muitos fracassos, nunca havia duvidado que algum dia dominaria as habilidades necessárias para ser uma bruxa como sua mãe, sua avó e suas irmãs.
Mas tome cuidado, minha pequena
-Sim. Terei cuidado -replicou Gwenellen. Continuando, dedicou a suas irmãs um olhar altivo. -Agora mesmo vamos ver quem é capaz de conjurar as rosas mais formosas de toda a terra.
Gwenellen retirou o cabelo do rosto e levantou os braços para o céu antes de adotar um ar de profunda concentração. Então, começou a entoar as antigas palavras. , entoou triunfantemente:
-Rogo-lhe isso, faça que caia em cima e ao redor a mais formosa flor.
Uma única e escura nuvem se colocou sobre eles, seguida do rugir dos trovões. Ao ouvir o estrondo, a mãe das meninas apareceu. Nola, e Wilona, a avó. As duas cruzaram a toda velocidade a pradaria seguidas de Bessie.
Em vez de flores, observavam um pó branco se acumulando ao redor dos pés,
Gwenellen permaneceu completamente imóvel enquanto as demais se aproximavam,Allegra e Kylia puseram-se a rir.
O que eu queria eram rosas.
- Você não disse rosas, mas sim que lhe caísse em cima e ao redor a mais formosa flor. Disseste que lhe caísse uma flor em cima e o que conseguiu foi... -disse Allegra. Quase não podia falar pelas risadas-... foi farinha.
As duas moças seguiram rindo Gwenellen, deixou-se cair sobre a grama e apoiou o queixo sobre os punhos, tratando de reprimir as lágrimas.
Quando os outros partiram, Wilona se sentou ao lado de sua neta. Nola, por sua vez, estava de pé com as mãos sobre os quadris, as observando muito atentamente.
-Estes feitiços parecem tão fáceis a vocês, vovó... Por que para mim são tão difíceis?
A anciã estreitou sua neta entre seus braços e lhe deu um beijo no alto da cabeça.
-Só necessita de tempo para descobrir seus dons, Gwenellen.
-Sim. Isso foi o que meu pai me disse.
-Seu pai? -perguntou surpreendida Wilona. Rapidamente olhou a Nola. -Quando ele te falou?
-Está segura de que se tratava de seu pai, minha querida ?
-Sim -afirmou Gwenellen. -Parecia tão alto e tão bonito, com o seu manto sobre um ombro e o brilho de uma adaga adornada com pedras preciosas que trazia na cintura.
Nola caiu de joelhos e tocou suavemente o braço de sua filha com uma mão. Falou com uma forte urgência refletida na voz.
Gwenellen acabava de descrever perfeitamente a seu pai, apesar de que nunca o tinha visto. Ele tinha morrido antes de que a menina nascesse. Era um mortal que tinha desafiado a seu clã para casar-se com Nola, mesmo sabendo que ela possuía poderes que eram desprezados pelos seus. A união de Nola e seu marido tinha sido puramente por amor e, até o dia em que ele morreu havia conseguido que sua esposa fosse incrivelmente feliz.
-O que te disse seu pai, garota?
O sorriso voltou a refletir-se no rosto do Gwenellen.
-Me disse que eu tinha um dom, um dom muito especial e que ninguém no Reino Místico o possuía. Disse-me que não podia utilizá-lo aqui, embora não me explicou o por que. Entretanto, o que ele me contou foi que, quando eu deixar nosso reino para ir ao mundo dos mortais, me protegerá -disse. -O que aconteceu,vovó? -acrescentou, ao ver o modo que Wilona a observava. -O que se passa?
A anciã acariciou suavemente o cabelo de sua neta menor.
-Não aconteceu nada, querida menina. Seu pai tem razão. Seu dom é efetivamente muito especial. Um dia, no mundo dos mortais, descobrirá o quanto é importante. Quando Gwenellen partiu, Wilona ficou de pé.
-Sabe o que isto significa, de verdade, minha filha?
Nola não parecia muito disposta a admiti-lo.
-Não é de se estranhar que seu dom não seja aparente aqui, no Reino Místico. Aqui não há túmulos.
-É um dom excepcional e muito valioso. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. oi, poderia me enviar este livro e se tiver todos da série? correajo@hotmail.com, obrigada

    ResponderExcluir
  2. vcs tem toda historia completa
    pois gostei d historia.


    miriamnsilva@gmail.com

    ResponderExcluir

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?

Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs, Jenna e Seriam

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...