3 de março de 2010

Refém do Desejo

Trilogia Conqueror




Inglaterra e Escócia, 1072

Sua vida estava nas mãos de um homem que ela não ousava amar...

Na noite em que Isabel Louvet escolheria um noivo, o castelo de seu pai é atacado e ela é raptada e entregue como escrava a um líder escocês.
Ao tentar salvar a vida de Isabel, o valente Anvrai d'Arques também é capturado,
mas graças às suas habilidades de guerreiro, ele consegue escapar, levando consigo a jovem prisioneira.
Isabel desperta em Anvrai uma ardente paixão, mas ele não ousa esperar que uma mulher tão linda e cobiçada possa amar um homem que traz marcas profundas das batalhas que enfrentou.
No entanto, ao se aventurarem naquela fuga arriscada, Anvrai descobre o brilho do desejo nos olhos de Isabel.
Perseguidos por inimigos implacáveis, Isabel e Anvrai têm de enfrentar uma árdua batalha para salvar a si mesmos, seu povo e um amor que tem o poder de libertá-los para sempre!

Capítulo Um

Nortúmbría, 1072, fim de verão. Castelo de Kettwyck
Sir Anvrai d'Arques olhava para os lados, inquieto, incapaz de descontrair-se.
Não conseguia se envolver no ambiente alegre, nem com as músicas que eram executadas sem parar. As obras do castelo-forte não tinham sido concluídas.
Além disso, nos últimos tempos os cavaleiros de lorde Kettwyck haviam se dedicado mais a ajudar na construção do que ao treinamento com objetivos de defesa.
Seria muito fácil para os escoceses atacarem o castelo durante as festividades em comemoração à chegada de Isabel e Kathryn, as duas filhas do lorde.
Apoiado na balaustrada superior, observava lady Isabel dançando com os incontáveis pretendentes.
— Anvrai d'Arques! — Hugh Bourdet, o auxiliar de maior confiança de lorde Kettwyck, estendeu a mão para saudá-lo efusivamente.
— Bem que disseram que o senhor veio no lugar do barão Osbern. Fico satisfeito em encontrá-lo. Já faz dois anos que não nos vemos?
Apesar de respeitar o cavaleiro idoso, não se encontrava com disposição para conversar. — Sim, se não for mais — Anvrai respondeu, com o cenho franzido.
— Noto que o senhor está muito sério. Hoje é um dia de festividades e descontração.
— Hugh riu. — Segundo me consta, o senhor não assumiu o comando da guarnição do rei em Winchester. Anvrai cerrou os dentes.
Havia um ressentimento profundo entre ele e o rei Guilherme.
De todos os cavaleiros que estavam na corte e podiam aproveitar a notoriedade de comandar um dos exércitos do monarca, Anvrai d'Arques fora o que recebera menores recompensas. Pelo menos, nada de substancial.
Anvrai teria encontrado muita satisfação em possuir uma pequena propriedade... um lar... como recompensa pelos anos em que estivera a serviço de Guilherme.
Antes e depois da batalha de Hastings.
Mas Guilherme não tinha intenção de recompensar o homem que o desafiara.
Por esse motivo, Anvrai d'Arques vivia nas casernas de Belmere, a serviço do barão Osbem d'Ivry, lorde de Belmere.
O fato era uma permanente fonte de irritabilidade, mas não havia solução possível. Anvrai d'Arques era tão obstinado quanto Guilherme, o Conquistador.
Anvrai apontou para as muralhas de Kettwyck e explicou os motivos de sua preocupação.
— Sir Hugh, as fortificações ainda não foram terminadas. Será que
lorde Henri não receia o ataque de escoceses?
— Nossos inimigos nunca demonstraram interesse em conquistar nosso longínquo território a oeste — Hugh retrucou. — Mesmo assim, não deixamos de tomar precauções. Temos cavaleiros patrulhando o perímetro das muralhas que não estão terminadas e...
Anvrai escutara histórias a respeito das incursões violentas contra os cavaleiros normandos. Os escoceses eram bárbaros. Seqüestravam mulheres e crianças para serem escravizadas ou vendidas. O melhor seria poder contar com muralhas altas, além de cavaleiros armados nas rondas.
— O senhor acha que isso seria o suficiente para deter um bando de escoceses selvagens?
— Em breve esses ataques terminarão. Os arautos do rei Guilherme estão atualmente percorrendo a Nortúmbria, arregimentando vassalos para a luta. — Hugh observou as festividades que tinham lugar embaixo, no salão. — O rei foi pessoalmente para o norte e reuniu legiões de cavaleiros no trajeto.
— Ir ao encontro do rei Malcolm em seu torrão natal será uma aventura arriscada.
— Concordo com sua opinião, mas o exército de Guilherme é muito mais numerosos
.


Trilogia Conqueror
1- Meu amor, meu inimigo
2- Refém do desejo
3- Feita para amar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. Oi Jenna,

    Adorei a história.Muito meiga.
    O mocinho é muito fofo,rsrs,apesar da cicatriz.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1:29 PM

    Eu adoro esse romance.. adoro heroi com cicatrizes...rs... já li 3 vezes.
    Beijos
    Monica

    ResponderExcluir

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?

Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs, Jenna e Seriam

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...