3 de março de 2010

Refém do Desejo

Trilogia Conqueror




Inglaterra e Escócia, 1072

Sua vida estava nas mãos de um homem que ela não ousava amar...

Na noite em que Isabel Louvet escolheria um noivo, o castelo de seu pai é atacado e ela é raptada e entregue como escrava a um líder escocês.
Ao tentar salvar a vida de Isabel, o valente Anvrai d'Arques também é capturado,
mas graças às suas habilidades de guerreiro, ele consegue escapar, levando consigo a jovem prisioneira.
Isabel desperta em Anvrai uma ardente paixão, mas ele não ousa esperar que uma mulher tão linda e cobiçada possa amar um homem que traz marcas profundas das batalhas que enfrentou.
No entanto, ao se aventurarem naquela fuga arriscada, Anvrai descobre o brilho do desejo nos olhos de Isabel.
Perseguidos por inimigos implacáveis, Isabel e Anvrai têm de enfrentar uma árdua batalha para salvar a si mesmos, seu povo e um amor que tem o poder de libertá-los para sempre!

Capítulo Um

Nortúmbría, 1072, fim de verão. Castelo de Kettwyck
Sir Anvrai d'Arques olhava para os lados, inquieto, incapaz de descontrair-se.
Não conseguia se envolver no ambiente alegre, nem com as músicas que eram executadas sem parar. As obras do castelo-forte não tinham sido concluídas.
Além disso, nos últimos tempos os cavaleiros de lorde Kettwyck haviam se dedicado mais a ajudar na construção do que ao treinamento com objetivos de defesa.
Seria muito fácil para os escoceses atacarem o castelo durante as festividades em comemoração à chegada de Isabel e Kathryn, as duas filhas do lorde.
Apoiado na balaustrada superior, observava lady Isabel dançando com os incontáveis pretendentes.
— Anvrai d'Arques! — Hugh Bourdet, o auxiliar de maior confiança de lorde Kettwyck, estendeu a mão para saudá-lo efusivamente.
— Bem que disseram que o senhor veio no lugar do barão Osbern. Fico satisfeito em encontrá-lo. Já faz dois anos que não nos vemos?
Apesar de respeitar o cavaleiro idoso, não se encontrava com disposição para conversar. — Sim, se não for mais — Anvrai respondeu, com o cenho franzido.
— Noto que o senhor está muito sério. Hoje é um dia de festividades e descontração.
— Hugh riu. — Segundo me consta, o senhor não assumiu o comando da guarnição do rei em Winchester. Anvrai cerrou os dentes.
Havia um ressentimento profundo entre ele e o rei Guilherme.
De todos os cavaleiros que estavam na corte e podiam aproveitar a notoriedade de comandar um dos exércitos do monarca, Anvrai d'Arques fora o que recebera menores recompensas. Pelo menos, nada de substancial.
Anvrai teria encontrado muita satisfação em possuir uma pequena propriedade... um lar... como recompensa pelos anos em que estivera a serviço de Guilherme.
Antes e depois da batalha de Hastings.
Mas Guilherme não tinha intenção de recompensar o homem que o desafiara.
Por esse motivo, Anvrai d'Arques vivia nas casernas de Belmere, a serviço do barão Osbem d'Ivry, lorde de Belmere.
O fato era uma permanente fonte de irritabilidade, mas não havia solução possível. Anvrai d'Arques era tão obstinado quanto Guilherme, o Conquistador.
Anvrai apontou para as muralhas de Kettwyck e explicou os motivos de sua preocupação.
— Sir Hugh, as fortificações ainda não foram terminadas. Será que
lorde Henri não receia o ataque de escoceses?
— Nossos inimigos nunca demonstraram interesse em conquistar nosso longínquo território a oeste — Hugh retrucou. — Mesmo assim, não deixamos de tomar precauções. Temos cavaleiros patrulhando o perímetro das muralhas que não estão terminadas e...
Anvrai escutara histórias a respeito das incursões violentas contra os cavaleiros normandos. Os escoceses eram bárbaros. Seqüestravam mulheres e crianças para serem escravizadas ou vendidas. O melhor seria poder contar com muralhas altas, além de cavaleiros armados nas rondas.
— O senhor acha que isso seria o suficiente para deter um bando de escoceses selvagens?
— Em breve esses ataques terminarão. Os arautos do rei Guilherme estão atualmente percorrendo a Nortúmbria, arregimentando vassalos para a luta. — Hugh observou as festividades que tinham lugar embaixo, no salão. — O rei foi pessoalmente para o norte e reuniu legiões de cavaleiros no trajeto.
— Ir ao encontro do rei Malcolm em seu torrão natal será uma aventura arriscada.
— Concordo com sua opinião, mas o exército de Guilherme é muito mais numerosos
.


Trilogia Conqueror
1- Meu amor, meu inimigo
2- Refém do desejo
3- Feita para amar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 comentários:

  1. Oi Jenna,

    Adorei a história.Muito meiga.
    O mocinho é muito fofo,rsrs,apesar da cicatriz.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1:29 PM

    Eu adoro esse romance.. adoro heroi com cicatrizes...rs... já li 3 vezes.
    Beijos
    Monica

    ResponderExcluir
  3. nao consegui achar esse livro na biblioteca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, não achou pq com certeza procurou no lugar errado, leia avisos no blog para se informar, toda série concluída tem de procurar em Séries...é só pensar um pouquinho...afinal se está completa onde estaria? bjs

      Excluir

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?

Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs, Jenna

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...