8 de outubro de 2016

Escândalo

Era a quarta temporada de Lady Annabelle Weymouth e ela não conseguiu encontrar um marido, mas a verdade era que não conseguia esquecer Robert Wilts, conde de Dain e, desta vez, a temporada seria radicalmente diferente porque ele estava procurando uma esposa. 

As pressões fizeram com que Robert tivesse que se casasse imediatamente e, apesar de preferir escolher uma mulher que apreciasse, não estava disposto a prolongar  a situação.
Annabelle sabia que Robert não gostaria de casar com ela, ainda mais se tivesse conhecimento de seus segredos, mas ela não tinha nada a perder, assim como provocar um escândalo? 
Seria o conde de Dain tão diferente dos outros homens?

Capítulo Um

Londres, finais de maio de 1851
O verão tinha chegado muito cedo. Um calor impróprio da época castigava Londres, convertendo as ruas em desertos no meio da tarde e os vendedores de gelo em homens afortunados.
Para desgraça de Annabelle Weymouth, o ritmo da temporada social não se viu reduzido nem um pouco. As aristocratas não iam deixar que algo tão vulgar como o clima interferisse em seus planos.
Incomodada, agitou-se de novo, fazendo que a delicada cadeira de salão rangesse sob seu peso. Como se sua feminilidade necessitasse outro insulto! 
Já suava como um camponês ao sol e o lenço que passava uma e outra vez pela fronte não conseguia aliviá-la absolutamente.
Desejou ter atendido a sua mãe por essa vez. A viscondessa viúva lhe tinha ordenado levar um leque e, em um estúpido ato de rebeldia, tinha-o esquecido de propósito em cima da cama.
Arrependia-se desde que tinha posto os pés no abarrotado salão de baile.
A orquestra, oculta por uma série de adornos florais bem dispostos, tocava naquele momento uma peça animada. Os assentos para as damas tinham sido colocados junto às paredes, do outro lado do salão.
O baile tinha sido anunciado sem jantar seguindo a moda francesa, mas apesar disso garçons uniformizados circulavam entre os convidados com bandejas de aperitivos e bebidas.
Sobre eles flutuavam centenas de velas acesas que outorgavam ao ambiente uma iluminação cálida. Ou, ao menos, essa devia ter sido a intenção da anfitriã. Certamente a boa mulher não tinha contado com que o calor das chamas, somado ao da multidão, converteria sua festa em um coquetel às portas do inferno.
Annabelle contemplava o animado salão com a mesma emoção a que assistiria a uma sessão do parlamento.
Levava várias horas naquele tedioso evento e o único bem que tinha conseguido, era perder de vista sua mãe. E, sem dúvida, a viscondessa não demoraria para voltar, arrastando atrás dela algum avoado jovem com a ideia de apresentar-lhe.
Como se após quatro fatídicas temporadas sociais Annabelle não conhecesse já todos e cada um dos filhos e filhas, primos, sobrinhos, cunhados e plantas de jardim de todas as famílias aristocráticas do país.
A ponto de completar vinte e quatro anos, não entendia como podia sua mãe manter viva a esperança. De verdade acreditava que encontraria marido? Era tão absurdo que, se fazê-lo não fosse arriscar-se a horas de recriminações maternas, riria.
Durante suas duas primeiras temporadas tinha sido convidada a muitos eventos, dançava com regularidade e tinha feito muitos amigos. Mas, depois da terceira, só algumas anfitriãs especialmente boas lhe conseguiam par.
Durante o mês que transcorria desde o início de sua quarta — e, esperava, última — temporada social, não tinha obtido nenhum convite para dançar.
De fato, se fosse sincera consigo mesma, nem sequer tinha sido olhada com interesse por algum cavalheiro, tornando-se invisível por vários momentos.
Depois de quatro anos exibindo-se como um cavalo bem treinado na
feira, sem conseguir uma só proposta de matrimônio, não entendia o que esperava sua mãe que acontecesse. Estavam gastando um dinheiro que não tinham, ao manter um nível de vida que não ia contribuir-lhes em nada.
Deteve seus pensamentos antes que estes deslizassem naquela direção. Uma dama jamais pensava em dinheiro. Claro que uma dama, supunha Annabelle, tinha tanto dinheiro que não sentia a necessidade de pensar nisso, além de um pai, um irmão ou um marido que se encarregasse de lutar com aquela questão tão mundana.
O que demonstrava que havia muito pouco de verdadeira dama nela. 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 comentários:

  1. Ana Maria Vianna8:15 AM

    Jenna querida,
    Sei que seu trabalho é árduo e não tem preço!! Mas queria te pedir que, sempre que possível, atualize a lista dos autores aqui no blog. Quando eu gosto de um livro de uma autora , procuro sempre ver se há outros. Esta autora Ada Martin, por exemplo, não está na lista. Um beijo bem grande e obrigada pelos momentos de prazer que vc e sua equipe de colaboradoras proporcionam a todas nós, suas fãs de carteirinha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah minha querida acabei de postar ele...e tudo aqui é lazer não trabalho! bjs

      Excluir
  2. Acabei de ler também. Gostei do livro, mas acho que o fim poderia ser melhor desenvolvido e também a trama da Lydia que, eu acho, merecia um livro próprio. Gostei da escrita também. Obrigada por mais um bom livro!

    ResponderExcluir
  3. Adorei...muito gostoso de ler...muito bem escrito...Recomendadissimo Obrigada Jenne..bjos

    ResponderExcluir
  4. Esse livro é maravilhoso! Pra quem tá com ressaca literária então... é tiro e queda! rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Anônimo11:10 AM

    Será que tem o livro com a Lydia e o Duque? Vou aguardar ansiosa.

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da história!! O enredo é cativante...espero uma história para Lydia e Adam e outra para senhorita Davis e o primo Justin que foram mencionados durante a história, porém sem ligação aparente entre eles. Vou aguardar ansiosa!

    ResponderExcluir
  7. Não gostei,o início até que foi bom,mas apartir da metade achei cansativo pulei várias páginas o final também não achei lá estas coisas observei que a maioria que leu gostou não sei pq o enredo não prendeu minha atenção.

    ResponderExcluir
  8. Zora Almeida9:40 PM

    Gostei muito do livro! A mocinha é impetuosa e o mocinho apaixonante! Gostei de como a história se desenvolveu, mas, como já comentaram, também senti falta de um final mais elaborado. Nada que prejudique demais o livro. É que ele já é bom, mas a gente fica pensando que teria como ser melhor ainda. (Faltou passar feliz da vida com o boy na frente de Lady F. - esqueci o nome dela Hahahahahah)
    Também torço por uma história de Lydia e Adam. Eles merecem!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo4:45 AM

    Gostei do livro, bastante aceitável, porem do meio para o fim achei meio sem nexo e n muito bem estruturado, mas como disse, ao todo eu gostei, pesquisei na internet e não faz parte de uma serie, logo creio não tem o livro de Lydia e Adam ou do primo Justin...ate mesmo de Pomona que também daria um bom romance com algum rapaz qualquer e sem titulo, rs. Parabéns as meninas pelo livro! continuem assim!!

    ResponderExcluir

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?

Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras.
AVISO IMPORTANTE: Nunca sabemos qdo um ebook vai ser lançado, somente no dia do lançamento no grupo, então nunca temos previsão! bjs
Jenna

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...