Mostrando postagens com marcador A Noiva da Primavera. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador A Noiva da Primavera. Mostrar todas as postagens

17 de maio de 2009

A Noiva da Primavera

Trilogia Mackintosh
















Capítulo UmHighlands, norte da Escócia, 1208.
A jovem loira piscou na direção de Gilchrist e esporeou o cavalo, floresta adentro.
— Mulherzinha à-toa...
— Homem de Deus!
— Hugh ralhou.
— Se não quer ser amigável com a moça, pelo menos poderia ser civilizado.
— E para quê? — Gilchrist desafiou-o.
— O senhor é um Lorde, e não devia permitir que seu mau humor afaste nossas mulheres.
Gilchrist baixou a cabeça, pois seu corcel passava debaixo de um galho pendente.
— Sim, Hugh, sou um Lorde, segundo os conselheiros anciãos.
Porém, sou um Mackintosh, e o clã jamais me aceitará.
Hugh cutucou sua montaria e chegou mais perto.
— O senhor também é um Davidson. Sua mãe nasceu e foi criada nestas terras, e milorde também foi educado aqui.
Gilchrist virou-se na sela e fitou os guerreiros Davidson, que trotavam atrás deles, em formação cerrada. Poucos o encararam. A maioria desviou o olhar ou fingiu conferir a espada.
Afinal, ele seria um Davidson ou um Mackintosh?
Naquele dia, Gilchrist sentia mais dor, O tecido rústico da manta xadrez de caça queimava-lhe a pele, mesmo sobre a lã macia de sua camisa. Teve vontade de rasgar o traje e deixar o vento esfriar seu corpo. Mas não ousou fazer isso. Não suportaria os olhares de asco e piedade dos que o acompanhavam.
— Vamos? — Hugh apontou a clareira à frente.
Gilchrist cerrou as pálpebras e respirou fundo. Pôde sentir o cheiro de chuva no ar frio e ameaçador. Quase sorriu.
Nisso, um aroma acre e conhecido trouxe-o de volta à realidade. Ergueu as pálpebras.
Ali estavam os restos carbonizados de Braedún Lodge, o berço do clã dos Davidson, o único lar de que se recordava.
Antes, era uma habitação enorme, sempre repleta de risos e acontecimentos festivos. Quantas vezes chegara àquele pátio, na volta de uma caçada ou de um encontro amoroso e fora saudado por seu tio, em pé à soleira?
Gilchrist franziu o cenho e tratou de esquecer.
— Como é, milorde, o senhor vem ou não?
Desde o incêndio, seis meses atrás, Gilchrist não voltara ao local do sinistro. Algumas vezes passara ao largo, e em uma delas até se aproximara.
Mas desistira por causa do odor fétido de carvalho queimado e pelos fatos que não desejava recordar. Mesmo naquele momento, sentia engulhos.
— Não, não posso, Hugh.
Os doze cavaleiros que os acompanhavam os ultrapassaram.
— Aquilo não passa de um monte de madeira queimada, milorde. Gilchrist, as recordações penosas estão apenas em seu coração.
— Pode ser...
— O senhor é um lorde, repito. Afaste-as, homem!
Há muito trabalho a ser feito, e o clã precisa de um chefe, não de um...
— Um o quê? Um aleijado? — Gilchrist tirou a mão direita de baixo da manta xadrez e ergueu-a, devagar. Sem pressa, abriu os dedos queimados e encurvados, cerrou os dentes por causa do sofrimento causado e agarrou o antebraço de Hugh.
— Um monstro?





Trilogia Mackintosh
1- A Noiva de Primavera
 2- Um Amor de Infância
3- Vencido pelo amor
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...