Mostrando postagens com marcador Judith McNaught. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Judith McNaught. Mostrar todas as postagens

17 de junho de 2009

Agora E Sempre

Série Sequels


Em 1815, órfã e sozinha, a jovem americana Victoria Seaton atravessou o vasto oceano com destino à Inglaterra.
Determinada a assumir a herança perdida havia tanto tempo, surpreendeu-se diante da suntuosa propriedade de seu primo distante, o mal-afamado lorde Jason Fielding. Disputado pelas mais belas mulheres da alta sociedade, solteiras ou casadas, Jason era um mistério para Victoria.
Confusa por sua postura arrogante e, ainda assim, atraída por seu arrasador poder de sedução, ela vislumbrou dolorosas lembranças nos profundos olhos verdes de Jason. Quando ele, incapaz de resistir ao charme e ousadia de Victoria, tomou-a nos braços e a beijou com paixão, ela foi envolvida em um redemoinho de sensações desconhecidas e profundamente perturbadoras...

Capítulo Um

Inglaterra, 1815.

– Ah, aí está você, Jason – a beldade de cabelos negros disse, ao ver o reflexo do marido no espelho sobre a penteadeira.
Com olhar desconfiado, examinou a figura atraente que se aproximava e, então, voltou-se para as diversas caixas de jóias espalhadas a sua frente. Com mãos ligeiramente trêmulas e sorriso forçado, retirou uma espetacular gargantilha de brilhantes de uma delas e estendeu-a para ele.
– Ajude-me a colocá-la, por favor – pediu.
As feições do marido se tornaram duras, quando seus olhos pousaram nos colares de rubis e esmeraldas que já enfeitavam o decote ousado do vestido.
– Não acha que essa exibição de jóias, bem como de seu corpo, é um tanto vulgar para uma mulher que pretende se passar por uma grande dama?
– O que você sabe sobre vulgaridade? – Melissa Fielding retrucou com irreverência. – Este vestido é a última palavra em moda. Além do mais, o barão Lacroix gosta tanto dele que me pediu para usá-lo no baile esta noite.
– Sem dúvida, ele não quer ter trabalho com uma porção de botões, quando chegar o momento de despi-la, mais tarde – o marido replicou sarcástico.
– Exatamente. Afinal, como todo francês, ele é muito impetuoso.
– Infelizmente, ele não tem um tostão.
– Lacroix me acha bonita – Melissa provocou-o, a voz ligeiramente trêmula pela irritação contida.
Jason Fielding estudou a esposa da cabeça aos pés, examinando com profundo desprezo o lindo rosto com pele de alabastro, olhos verdes, levemente amendoados, os lábios carnudos e vermelhos, a curva dos seios fartos, exposta pelo decote do vestido de veludo escarlate.
– Ele tem razão. Você é linda, ambiciosa e imoral. – Girando nos calcanhares, encaminhou-se para a porta, mas parou, acrescentando com implacável autoridade: – Antes de sair, vá se despedir de nosso filho. Jaime é pequeno demais para compreender que você não passa de uma vagabunda. Ele sente sua falta. Partirei para Escócia dentro de uma hora.
– Jaime! – Melissa sibilou, irada. – É tudo o que importa para você. – Como o marido abrisse a porta, sem se dar ao trabalho de negar a acusação, ela ameaçou:
– Quando voltar da Escócia, não estarei mais aqui!
– Ótimo – Jason replicou.
– Bastardo! Vou contar ao mundo quem você realmente é e, então, vou embora. Nunca voltarei. Nunca!
Com a mão na maçaneta, Jason virou-se para encará-la com expressão impassível.
– Vai voltar, sim – zombou —, assim que o seu dinheiro acabar.
Quando a porta se fechou, os olhos de Melissa brilharam em triunfo.
– Nunca voltarei, Jason – murmurou —, porque o meu dinheiro jamais acabará. Você mesmo vai me dar tudo o que eu quiser...



1- Agora E Sempre
2- Um Amor Maravilhoso
3- Alguém Para Amar

Um Reino de Sonhos

Série Westmoreland



O destino não poderia ter traçado um futuro pior para as duas moças da nobreza escocesa. 


Pior do que serem raptadas por um temível guerreiro inglês, foi descobrir que o inglês é um homem sucinto e amigável.
Quando uma delas fica doente, ele permite libertá-la em troca dos favores da outra, Jennifer.
Ela não tem duvida em sacrificar sua honra para salvar a vida de sua irmã. Indevidamente, entre Jennifer e o implacável guerreiro surge um intenso amor alheio ao combate entre seus respectivos clãs.
Mas a vida pedirá um acerto de conta aos irrefletidos amantes!

Capítulo Um

-Um brinde ao duque de Claymore e a sua noiva!
Em circunstâncias normais este brinde de noivado teria arrancado sorrisos das damas e cavalheiros elegantemente vestidos que se encontravam no grande salão do castelo de Merrick. Teriam levantado às taças e devotado mais um brinde para celebrar as bodas de um dos principais nobres do reino, como a que em breve teria lugar no sul da Escócia.
Mas não foi isso o que aconteceu naquele casamento.
Naquele casamento ninguém aclamou, ninguém levantou sua taça de vinho.
Naquele casamento os presentes nervosos, se observavam.
A família da noiva estava tensa, assim como a família do noivo.
Os convidados, os criados e até os cães que havia no salão estavam tensos. Inclusive o primeiro conde de Merrick, cujo retrato estava pendurado sobre a lareira, parecia estar tenso.
-Um brinde ao duque de Claymore e sua noiva - falou novamente o irmão do noivo, e sua voz ressonou como um trovão no silencioso salão.
-Que desfrutem juntos de uma longa e frutífera vida.
Normalmente esse tipo de brinde produz uma reação alegre: o noivo sorria orgulhosamente porque está convencido de ter ganhado algo maravilhoso; a noiva sorria porque conseguiu convencê-lo de que é verdade; os convidados sorriem porque um matrimônio entre membros da nobreza, ainda mais da união de duas famílias importantes e de duas grandes fortunas, é motivo suficiente para uma grande celebração e um estado de júbilo fora do comum.
Mas não foi assim naquele casamento. Não naqueles 14 de outubro de 1497.
Depois do brinde, o irmão do noivo levantou sua taça e sorriu inexoravelmente para o noivo. Os amigos deste levantaram suas taças e sorriram friamente. O noivo, que parecia ser o único imune à hostilidade reinante no salão, levantou sua taça e sorriu serenamente para a noiva, embora o sorriso não se visse refletido em seus olhos.
A noiva nem sequer se incomodou em sorrir para ninguém. Mantinha uma expressão furiosa e rebelde.
Na realidade a fúria de Jennifer era tal que apenas não se dava conta da presença de ninguém. Nesse instante até a última fibra de seu ser se achava concentrada em um desesperado pedido a Deus, que por falta de atenção ou de interesse tinha permitido que ela chegasse a essa lamentável situação.
"Senhor, gritou em silêncio tratando de controlar o terror que lhe fechava a garganta, - se fores fazer algo para deter este matrimônio, terá que fazê-lo já, pois dentro de cinco minutos será muito tarde. Certamente mereço algo melhor que este matrimônio à força com um homem que me roubou a virgindade. Sabe que não a entreguei voluntariamente."



1- Um Reino de Sonhos
2- Whitney, Meu Amor
3- Até Você Chegar
4- Milagres
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...