Mostrando postagens com marcador Uma Temporada Roubada. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Uma Temporada Roubada. Mostrar todas as postagens

19 de março de 2017

Uma Temporada Roubada

Um pequeno erro no passado vai mudar tudo sobre o seu futuro...

A arqueóloga Sarah Baxter acaba de quebrar uma das maiores regras de viagem no tempo: deixou um dispositivo do século XXI na Inglaterra Regencial do século XIX. Infelizmente, quando volta para recuperá-lo, ela faz uma confusão ainda maior das coisas – resultando na morte de um conde inglês. Agora seu irmão não está apenas atrás de vingança, mas ele também tem o dispositivo de Sarah. 
O que significa que será necessária uma abordagem completamente diferente. Não ocorre ao novo conde de Earnston que sua encantadora desconhecida é responsável pela morte de seu irmão. 
Ele é simplesmente varrido por uma paixão que ameaça a sua própria reputação. Mas ele tem a impressão de que a senhorita Baxter está escondendo alguma coisa dele. Agora Sarah deve encontrar uma maneira de roubar seu dispositivo, esconder a verdade sobre o irmão do conde e, o mais importante, não se apaixonar...

Capítulo Um

Inglaterra1817 - Kent
Sarah cambaleou na sela, suas roupas encharcadas pesando em seus ombros e dificultando manter-se em seu assento. Os cascos do cavalo, tão fortes como um tambor, ecoavam em seus ouvidos. Ela chutou sua montaria e a exortou sobre uma pequena sebe, sua determinação de não ser apanhada, superando seu bom senso.
A chuva escorria pelo seu rosto, mas ela não conseguia parar. O futuro da TimeArch dependia disso. Os anos de pesquisa de seu pai. As centenas de horas passadas trabalhando na maior e mais desejada capacidade do homem. Sarah retardou sua montaria para galopar através de um riacho turbulento, as pedras fazendo com que o cavalo tropeçasse, tornando a curta travessia dolorosamente lenta. O tempo acabou. Ela tinha de ir. Embora o cavalo se agarrasse e deslizasse para o outro lado da margem lamacenta para continuar, a apreensão ainda ameaçava fechar sua garganta em pânico.
A montaria perdeu um passo, e Sarah agarrou a sela, amaldiçoando o clima. Ela lançou um olhar sobre seu ombro e gritou sua frustração para a cortina de chuva, ao ver o conde de 1 Condado situado no sudeste da Inglaterra, próximo de Londres, com capital em Maidstone.
Uma Temporada Roubada – Tamara Gill
LRTHistóricos 6
Earnston, nem dois cavalos atrás2.
Seu olhar segurou o dela e, com intrépida determinação, ele instou sua montaria a emparelhar com a dela, agarrando suas rédeas.
— Deixe-me ir. — Sarah deu um soco em sua mão e chutou, tentando afastá-lo. Tudo em vão, já que nada parecia impedir sua determinação.
— O que isso faz? — Ele gritou, puxando as rédeas dela.
Os cavalos bateram duro, e Sarah lutou pelo equilíbrio.
— Vamos, Lorde Earnston.Você vai matar-nos.
Ele soltou as rédeas por um momento, enquanto um grande arbusto os separava. Mas, a uma velocidade incontrolável, ele se aproximou novamente.
— O que é tão importante para que você arrisque sua vida? — Ele gritou sobre a tempestade.
Sarah sacudiu a cabeça. Por que ele não a deixava em paz? Maldita fosse a sua falta de jeito na biblioteca. Se ela não tivesse derrubado o vaso – se não tivesse tropeçado –, o conde nunca teria investigado o som. Mas ele tinha, e encontrou suas mãos enfiadas em sua coleção de peculiares3, roubando um dispositivo de outro tempo.
— Esqueça isto. Esqueça-me. — Gritou ela através do dilúvio. — Vá para casa!
— Não. — Ele disse, incitando seu cavalo a ficar diante dela.
Um ramo de árvore baixo bateu em seu rosto. Sarah se encolheu com dor. A noite era perfeita para o roubo, mas não para uma fuga a uma velocidade vertiginosa. Se continuassem a perseguição, seria apenas uma questão de tempo até que um deles fosse morto.
— Pare seu cavalo!
Sarah sacudiu a cabeça e chutou a montaria. Não importava os perigos, ela não podia obedecer. O futuro, o negócio de seu pai, tudo o que ela considerava importante dependia de sua fuga.
— Eu não posso. Milorde, por favor, deixe-me.
Ele apertou as rédeas dela e puxou com força. O cavalo de Sarah resistiu à agressividade, e ela se inclinou desajeitadamente para um lado. Sentindo-se prestes a cair, ela estendeu a mão e agarrou o conde. Suas rédeas escorregaram do aperto dele, enquanto seu braço forte rodeava a cintura de Sarah Sarah, lutando para impedi-la de cair entre os dois cavalos. Mas não foi muito eficiente. Seu cavalo se desviou, e ela caiu duramente contra a montaria de Sua Senhoria. Seus dedos, frios e molhados, deslizaram para agarrar a sela, mas seu cavalo se afastou dela.
— Espere, eu peguei você. — Praguejando, o conde tentou puxá-la para cima, mas a gravidade estava contra eles.
— Estou escorregando. Deixe-me ir. Eu vou derrubá-lo.
Os pés de Sarah arrastavam na estrada lamacenta e cheia de pedras, e ela se preparou para uma queda dolorosa. Um cavalheiro até ao fim, ele balançou a cabeça e tentou puxar o cavalo.
— Por favor, deixe-me ir. Mas era tarde demais.
Veja Vídeo do lançamento
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...