20 de novembro de 2018

Abraço do Destino

Trilogia Destino
Mariah Cooper de Filadélfia, cresceu numa casa sem amor, criada por revoltada mãe solteira. 

Logan Yates teve a experiência oposta: ele é o filho de um fazendeiro negro, criado pela sua madrasta da alta sociedade espanhola, junto com os seus dois meios-irmãos, rodeado por amor. Quando Mariah vai até á Califórnia para se tornar a sua governanta, Logan está certo, que a garota da cidade vai fugir com o rabo entre as pernas. 
Em vez disso, Mariah encontra o seu temperamento e coragem, e as faíscas que voam entre eles, mudam de uma batalha de vontades, para um arroubo de paixão.

Capítulo Um

Rancho Destino, Condado de Yolo, California, Abril 1885
Alanza Yates estava na varanda de seu rancho, sentido o ar fresco da manhã e olhando a vasta paisagem verde. Ao longe, perto da linha de árvores que ladeavam as montanhas, cavalos e potros destinados à venda galopavam vagarosamente sob os olhos vigilantes dos que cuidavam do rancho. A oeste, movendo- se lentamente, o gado, também destinado à venda, engordava nas pastagens abertas e bebia no riacho claro que serpenteava dos morros. 
Seus pomares, com limoeiros e laranjeiras, dividiam espaço com fileiras de videiras que estavam carregadas de frutas. O rancho, originalmente estabelecido por seu avô, e passado para o pai após a sua morte foi o local de nascimento dela. Quando era jovem e a área era conhecida como a Alta Califórnia do México, passara de uma ponta a outro da propriedade sem nenhuma preocupação com o mundo. Desde então, muitas coisas mudaram e, o mais importante, ela também.
Nasceu Alanza Maria Vallejo, filha única e mimada do rico e bem relacionado Don Francisco Vallejo, que traçou sua linhagem durante os dias de glória da Espanha. Alanza foi educada pelos frades e freiras.
Quando tinha quinze anos viajou muito pelo México e pela Europa e foi prometida em casamento a Don José Ignácio, um homem trinta e cinco anos mais velho do que ela. Ela o odiava. Ele e suas mãos suadas estavam sempre tentando tocá-la, quando a encontrava sozinha, nos corredores de sua casa, sem seus pais ou sua governanta.
Seus olhos maliciosos parecidos com os de um porco, e o jeito que ele lambia os lábios como se ela fosse algo que ele planejava comer, fazia com que o odiasse ainda mais, então ela se recusou a honrar o acordo de casamento. Seu pai se enfureceu, sua mãe chorou, e as famílias espanholas vizinhas balançaram a cabeça com sua insolência escandalosa, enquanto sussurravam atrás de seus admiradores sobre sua reputação. 
Para piorar a situação, ela estava secretamente apaixonada por um homem que não era descendente de espanhóis. Seu nome era Abraham Yates. Seus pais não teriam se importado com sua herança africana, afinal, havia muitas famílias no México e na Califórnia, com o mesmo sangue, incluindo mais da metade dos colonos originais da cidade de Los Angeles.
O que importaria a eles era que Abraham era um americano. Aos seus olhos, seus laços com a Festa da Bandeira do Urso, um grupo cujas maquinações abriram o caminho para o governo americano conquistar a Califórnia do México através de subterfúgios, e depois da guerra, teriam feito com que eles enviassem sua única filha para um convento e nunca ver ou falar com ela novamente. Exigiram que se casasse com Dom Ignácio, mas porque ela era teimosa e mimada, fugiu para o seu amor secreto com a esperança de que ele a levasse junto.
Sendo um homem honesto, Abraham imediatamente a trouxe de volta para seus pais. Mas o dano já estava feito, agora, nenhum espanhol de boa família iria querê-la, então um padre foi imediatamente convocado, e depois de suportar o único espancamento já dado pela mão de seu pai, Alanza rapidamente se casou com o viúvo Abraham Yates e tornou-se sua esposa e madrasta de Logan, seu filho de seis anos.
Alanza suspirou com a lembrança. Tinha sido tão arrogante e cheia de si mesma naquela época. Se soubesse então, o que a vida tinha lhe reservado, teria se atirado aos pés de seu pai e implorado por perdão e misericórdia. Depois da cerimônia, ela e Abraham voltaram para sua pequena cabana. Sua admissão de não estar apaixonado por ela destruiu seu mundo.
Ele não tinha ideia de que ela tinha sentimentos tão fortes por ele, e disse a ela que, se soubesse, teria gentilmente lhe apontado à verdade. Não tendo nenhuma experiência com homens, ela entendera os sorrisos suaves que ele lhe dava quando vinha ao rancho para cuidar dos cavalos de seu pai. 
Cada vez que ele chegava, ela achava algum motivo absurdo para falar com o pai sempre que os dois conversavam, apenas para se aquecer no sorriso de Abraham. Mas na noite de seu casamento, percebeu que não era nada mais do que uma criança vaidosa e mimada que havia envergonhado a si mesma e sua família, e que havia forçado um homem austero, mas compassivo a ser ligado a ela até que a morte os separasse. Sua humilhação, a culpa e a vergonha não conheciam limites.
— Senora? — com o seu devaneio quebrado, Alanza se virou para a governanta irlandesa.
— Sim, Bonnie?
— O Sr. Logan e seus homens retornaram. Você deseja que o almoço seja servido antes ou depois de recebê-lo em casa?
— Depois, Bonnie. Gracias. E traga minha carruagem, por favor.
Bonnie partiu, deixando Alanza sozinha com seus pensamentos novamente. Fez uma prece silenciosa de agradecimento por Logan ter retornado em segurança. Oito anos depois de seu casamento, Abraham perdeu a vida em um deslizamento de rocha. Para não sobrecarregar Logan com seus medos de que ele sofreria um destino semelhante, sempre que estava longe, ela dormia sem sossego e acendia velas extras para a Virgem Mãe em seu nome.
Muitas segundas esposas escolheram se distanciar das crianças trazidas para o casamento pelos maridos, mas ela amara Logan desde o momento em que o conhecera. Os anos que se seguiram à morte de Abraham estavam cheios de desespero e de uma pobreza extrema que ela nunca poderia ter imaginado enquanto crescia na casa de seus pais, sendo esperada por um pequeno exército de criados e dormindo sob lençois de seda. Logan se tornou sua pedra de toque e sua luz durante esse tempo. 
Conversava com ela, ouvia suas esperanças e sonhos e trabalhava incansavelmente ao lado dela. De muitas maneiras, ainda fazia esse papel. Embora ela não o tivesse dado à luz, era seu filho, e amava-o tão ferozmente quanto se o tivesse carregado.
Trilogia Destino
1 - Abraço do Destino

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Amei .....chorei ....sensibilidade pura. Obrigada pela indicação

    ResponderExcluir
  2. Linda história de um amor em tempos difíceis, com personagens fortes e hilários! Detalhe: a mãe dela é uma bruxa má que não soube amar a filha, apenas maltratar e punir!

    ResponderExcluir
  3. Eu amei! Lindo e engraçado e com personagens negros também <3

    ResponderExcluir
  4. O tema é diferente, mas próximo da realidade de nós pobres mortais. Possui mais ênfase na superação do que nas dificuldades vividas.

    ResponderExcluir

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?

Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras.
AVISO IMPORTANTE: Nunca sabemos qdo um ebook vai ser lançado, somente no dia do lançamento no grupo, então nunca temos previsão! bjs
Jenna

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...